Comemorando um ano da posse de Trump e contabilizando as vitórias

Carlo Barbieri

Publicado originalmente na Revista The Boca Raton Tribunte em 23/01/2018 por Carlo Barbieri

Há pouco mais de um ano, em 20 de janeiro de 2017, Donald J. Trump fazia o juramento de posse como o 45° Presidente dos Estados Unidos da América.

Ele fez esse solene juramento em meio a lamentações de seus opositores que diziam que a América iria vacilar ou falhar sob sua liderança – ou como eles disseram que seria uma falta da mesma.

Em vez disso, nós podemos comemorar o primeiro aniversário da administração de Trump visualizando melhorias por todos os lados. O mercado de ações, os números de emprego e o sentido geral de orgulho e bem-estar só crescem. As empresas estão aumentando os salários e bônus ao invés de diminuir seu quadro de funcionários e enviar avisos de fechamento. Muitas das organizações que deixaram os Estados Unidos para outros locais de “pastos verdejantes” (ou seja, com menos impostos) estão se preparando para retornar.

Na semana passada, nós começamos o novo ano recordando algumas das histórias de sucesso do presidente. Muitas pessoas não perceberam essas vitórias, já que a mídia liberal não relata os fatos e ainda tenta desesperadamente encontrar uma falha em relação à Trump ou em relação às pessoas que trabalham com ele, buscando até mesmo atos falhos no seu passado.

Vamos seguir essa linha de pensamento por um momento. É interessante notar que durante a semana passada, o médico que realizou diversos exames físicos em Donald Trump, relatou suas descobertas para os meios de comunicação afirmando que o presidente está um pouco acima do peso, mas está em bom estado de saúde.

No entanto, muitas pessoas da mídia insatisfeitas com a declaração do médico tentaram induzi-lo a dar-lhes alguma indicação de saúde debilitada, tais como, doença de Alzheimer ou demência, obesidade grave, distúrbio mental, qualquer coisa que pudesse ser motivo para pedir um impeachment ou invocar a 25° emenda e declará-lo inapto para o cargo.

Além disso, fica difícil de entender por que as pessoas ainda vão às ruas exigindo a renuncia ou retirada de Trump, quando a maioria deles está melhor agora do estava há um ano – e certamente desfrutam de uma vida melhor do que tinham na administração presidencial anterior.

No nosso artigo da semana passada, nós abordamos como Trump melhorou a vida dos cidadãos e alavancou o setor comercial e industrial com a redução de impostos.

Enquanto o presidente continua buscando soluções para as questões relacionadas à imigração as quais esperamos que tenha apoio bipartidário, ele adotou medidas severas quanto à imigração ilegal. De acordo com dados compilados pela Casa Branca, as medidas foram:

  • Acabou com a era Obama de apreensão e liberação dos imigrantes ilegais.
  • Impulsionou as detenções de imigrantes ilegais dentro dos Estados Unidos.
  • Removeu 36% mais membros de gangues criminosas do que no ano fiscal de 2016.
  • Estabeleceu literalmente a lei, em cerca de 300 cidades santuário que desafiam a Imigração e Fiscalização Aduaneira (ICE- Immigration and Custom Enforcement), mas que ainda recebem dinheiro do governo federal.
  • Contratou cerca de 100 novos juízes de imigração.

Na área de Contabilidade, Trump:

  • Nomeou 73 juízes federais e indicou com sucesso o juiz Neil Gorsuch ao Supremo Tribunal Federal.
  • Implementou padrões éticos, incluindo a proibição de lobby.
  • Solicitou um plano abrangente para reorganizar o poder executivo.
  • Solicitou uma auditoria completa em relação ao Pentágono e ao seus gastos.

Ele também continua cumprindo a sua promessa de ajudar os veteranos de guerra com uma série de mudanças, incluindo:

  • Assinatura da lei de “Responsabilidade dos veteranos de guerra e proteção do delator” (Veterans Accountability and Whistleblower Protection Act) a qual permite que os altos funcionários do departamento de assuntos de veteranos de guerra possam demitir funcionários incapazes, além de estabelecer medidas de segurança para proteger os delatores.
  • Assinatura da lei de “Escolha dos assuntos de veteranos de guerra e Emprego de qualidade” de 2017 (Veterans Affairs Choice and Quality Employment Act) a qual autoriza a quantia de 2,1 bilhões de dólares em fundos adicionais para o “Programa de escolha de veteranos de guerra” (Veterans Choice Program).
  • Criou uma central de atendimento telefônico para assuntos dos veteranos de guerra.
  • Requisitou ao departamento de assuntos dos veteranos de guerra uma ferramenta online que forneça aos veteranos dados de tempo de espera e qualidade do sistema de saúde.
  • Em conjunto com o secretário de assuntos dos veteranos de guerra chamado Dr. David Shulkin, anunciou três iniciativas para expandir o acesso a cuidados de saúde para os veteranos através de Telessaúde.

Ele promoveu a paz através da força, por:

  • Dirigir a reconstrução das forças armadas e buscar uma nova estratégia nacional e revisão da postura nuclear.
  • Aumentar os gastos com defesa.
  • Sair do Pacto Global sobre a migração, que Trump vê como uma ameaça às fronteiras.
  • Impor uma proibição de viagens para as nações que não tem segurança adequada em suas fronteiras e contra ataques terroristas.
  • Fiscalizar a diminuição do Estado Islâmico do Iraque e Síria, conhecido como ISIS (Islamic State of Iraq and Syria) de quase todo o seu território.
  • Instigar medidas drásticas contra a Coreia do Norte e seu desenvolvimento de armas nucleares.
  • Solicitar novas sanções à ditadura na Venezuela.

Trump também olhou pelos cidadãos americanos ao unir forças com os países da América Central prendendo e acusando 4.000 membros da MS-13 (gangue internacional originada em Los Angeles).

O presidente também declarou emergência na saúde pública em todo o país devido à droga chamada opióide. Assim como, realizou uma força tarefa no dia Nacional de recolhimento de medicamentos (National Drug Take Back Day) onde a Agência de controle de drogas coletou 456 toneladas de substâncias ilegais.

Nas áreas da economia e segurança nacional, Trump está tentando curar os verdadeiros problemas deste país. Ele tem enfrentado oposição quase insuperável de todos os cantos de Washington e dos meios de comunicação, mas ele começou algo que prevalecerá no final. Ele virou o país de ponta cabeça.

E isso é uma vitória moral.

Leave a comment