A imprensa europeia noticia, esta quinta-feira, a greve geral em Portugal, lembrando que é a segunda desde que Portugal pediu o resgate internacional, e destacam o impacto da paralisação sobre os transportes públicos.

Nos jornais de língua inglesa, o Wall Street Journal diz que a paralisação “encerrou” os serviços de transportes públicos em todo o país e cita as declarações da CGTP, de que o país chegou ao máximo de austeridade que pode aguentar.

O jornal cita palavras de um taxista que admite que as condições atuais são “as piores que conheceu na vida” mas que também diz que os portugueses aprenderam, com a Grécia, “que as manifestações e as greves não vão mudar nada”.

A agência noticiosa Reuters refere, por seu lado, que “os trabalhadores portugueses pararam comboios, pararam portos e paralisaram a maioria dos transportes públicos” e lembram uma das palavras de ordem do dia, “ocupar as ruas, bloquear tudo“.

A agência noticiosa Reuters diz que o ” novo líder comunista da CGTP, Arménio Carlos, quer lutar contra as medidas” de austeridade mas, numa comparação face à Grécia, recorrente em toda a imprensa internacional, acrescenta que os “Portugueses, até agora, mostraram pouco interesse em imitar os protestos vistos na Grécia” e lembra que a UGT aceitou as reformas e que os trabalhadores do setor privado tem demonstrado “relutância” em participar na greve.

Por seu lado, o jornal britânico The Guardian, no blogue sobre economia e mercados, refere que “a greve geral teve um forte impacto nos transportes públicos em Lisboa” e cita notícias de que “algumas crianças foram enviadas para casa, porque os professores e pessoal auxiliar não se apresentaram ao trabalho“.

Em França, o jornal Libération titula que “Um Portugal em greve quer dizer basta à austeridade” e diz que a paralisação tocou “particularmente” os transportes das principais cidades, e chama a atenção para as manifestações previstas.

O jornal cita a confiança de Arménio Carlos, o secretário-geral da CGTP, bem como a opinião da central sindical de que a reforma do código laboral “é o regresso ao feudalismo”, mas lembra também a opinião de diversos analistas, de que a contestação em Portugal nunca teve a amplitude de outros países europeus, “a Grécia em particular”.

Já a revista Nouvel Observateur e o canal de televisão TF1 noticiam, na sua página na Internet, que a greve geral “põe Portugal a meio gás” e diz que a CGTP, o “principal sindicato, espera uma forte mobilização contra as medidas de austeridade do Governo, responsáveis, segundo eles pela recessão e do desemprego”.

Em Espanha, o jornal El País, nas páginas de economia, lembra que esta é a “segunda greve geral em quatro meses e é também a segunda greve geral convocada contra as políticas de austeridade do Governo”.

“Lisboa amanheceu sem metro, com os autocarros a funcionar a 15% e com os barcos que ligam a capital portuguesa às populações ribeirinhas próximas paralisados”, relata o jornal espanhol, referindo que “basta dar uma volta por Lisboa para ver que a greve afeta os transportes e a recolha de lixo, mas que os centros comerciais, as lojas e os cafés e restaurantes não foram afetados“.

O jornal El Mundo, que tem também na sua página na Internet um vídeo com imagens das primeiras horas da greve, começa o texto por explicar que é a reforma laboral que Lisboa aprovou recentemente a causa desta greve que, para o jornal, “está a ter efeitos negativos para a economia lusa“, ao lado das medidas que Portugal aprovou para receber o resgate.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Lar Maria Sininha

Estes frutos valem os esforços das primeiras sementes. Fazer a diferença na vida destas crianças e adolescentes, e saber que este trabalho proporcionou mudança aos atendidos para uma vida com(...)

face linkedin twitter whatsapp

Palestra do Grupo Oxford em Tocantins

Palestra do Grupo Oxford em Tocantins, sobre Internacionalização de Empresas, foi considerado o evento mais importante do Estado nos últimos tempos. Todos os lugares ocupados na palestra, empresários de(...)

face linkedin twitter whatsapp

Clipping – Palmas

face linkedin twitter whatsapp
ArabicChinese (Simplified)Chinese (Traditional)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish