white house

EUA: BASE IDEAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS

Publicado originalmente na revista FocoAmerica.com

06-26Todos os empreendedores tem uma clara visão da necessidade de terem seus negócios e sua própria família com segurança, que advém de se internacionalizarem. Do ponto de vista econômico, os EUA tem se tornado o desejo e destino de empresas da maior parte do mundo, por sua segurança jurídica, a forca de sua moeda e a estabilidade de suas instituições: ou seja, a base ideal para internacionalização.

Recentemente, esta possibilidade transformou em um desejo irrefreável e lógico.

Os EUA têm demostrado forca internacional, e voltou a ser um baluarte internacional ao defenestrar o ISIS do Iraque e trazer a Coreia do Norte a ter que se desnuclearizar para sobreviver.

O atual governo, do ponto de vista econômico, tem implementado uma profunda desregulamentação, para agilizar a economia e tirar custos desnecessários e retardadores do progresso.

Com a confiança do mercado, valorizou a poupança do americano e nos que investem nos EUA. Mais de $7 trilhões foram acrescidos ao valor das inversões nas bolsas de valores.

A taxa de crescimento tem sido o dobro da obtida, em média, nos últimos 8 anos.

Com a reforma tributária, os EUA estão atraindo milhares de matrizes de suas empresas de volta para o país, e muitos outros empreendedores estão visualizando a possibilidade de instalarem suas bases de operações mundiais a partir dos EUA.

Estas duas razoes:

  • Impostos baixos para as empresas (caíram de 35% para 21%);
  • Mudança do conceito, em que passa a taxação americana ser territorial e não mundial para as empresas que operam em outros países, o que faz com que, na prática, em especial nos países com tratados tributários, os lucros obtidos em outros países não são taxados ao serem trazidos para os EUA,

A transferência das sedes está sendo galopante.

Isto trará mais recursos a serem investidos nos EUA e estimularão, ainda mais a economia.

Por outro lado, a insegurança pessoal, jurídica e institucional e a precária capacidade de recuperarão econômica está fazendo com que, mesmo mantendo sua atuação no Brasil, as empresas estejam se organizando para se internacionalizar e os EUA passam a ser o seu destino principal.

O maior mercado do mundo tende a se fortalecer em bases reais a curto e médio prazo, com incorporação de novos e mais fortes consumidores. Nunca antes nos EUA, afro descendentes atingiram o ganho real de salários como no último ano.

O nível de desemprego caiu para 3,8% a nível nacional, aumentando a confiança dos consumidores e levando-os mais as compras de produtos e serviços.

O nível de “food stamp”, o bolsa família americano atingiu seu mais baixo nível em décadas.

E, se sair a segurança das fronteiras, teremos a regularização de milhões de indocumentados que criará uma nova onda de crescimento econômico e de sustentação dos programas assistenciais do governo.

Os EUA é um dos países mais incentivadores do empreendedorismo. A empresa é aberta por internet, não há leis trabalhistas, pelo menos na Flórida, não há impostos nas pessoas jurídicas, a não ser nas corporações, na Flórida não tem imposto de renda na pessoa física, existem várias formas de incentivo neste estado, assim como em outros.

Como vemos, pensar em internacionalização é uma questão de segurança no futuro da empresa. Pensar em EUA neste processo é a melhor opção.

xxxxxxxxxxxx

USA: IDEAL HEADQUARTER FOR INTERNATIONALIZATION OF COMPANY

All entrepreneurs have a clear vision of the need to have their business and their own family safely, which comes from internationalization. From the economic point of view, the US has become the desire and destiny of companies in most of the world, for their legal security, the strength of their currency and the stability of their institutions: that is, the ideal base for internationalization.
Recently, this possibility has turned into an irresistible and logical desire.

The United States has demonstrated international strength and has once again become an international bulwark by deflating ISIS from Iraq and bringing North Korea to denuclearize to survive. The current government, from the economic point of view, has implemented deep deregulation, to streamline the economy and take unnecessary and retarding costs of progress. With the confidence of the market, he valued the savings of the American and those who invest in the USA. More than $ 7 trillion was added to the value of stock market investments. The growth rate has been double that of the average for the past 8 years. With the tax reform, the US is drawing thousands of its parent companies back into the country, and many other entrepreneurs are envisioning the possibility of setting up their global trading bases from the US.

These two reasons:

Low corporate taxes (down from 35% to 21%);
Change of concept, where the US taxation is territorial and not global for companies operating in other countries, which means that, in practice, especially in countries with tax treaties, profits obtained in other countries are not taxed when brought to the United States,
The transfer of headquarters is rampant.

This will bring more resources to be invested in the US and stimulate even more the economy. On the other hand, the personal, legal and institutional insecurity and the precarious ability to recover economically is making that, even while maintaining its performance in Brazil, companies are organizing to become international and the US becomes their main destination. The world’s largest market tends to strengthen on real bases in the short and medium term, with the incorporation of new and stronger consumers. Never before in the US, Afro-descendants have achieved real wage gains as in the past year. Unemployment fell to 3.8% nationwide, boosting consumer confidence and driving them more purchases of goods and services.

The level of “food stamp”, the American family grant has reached its lowest level in decades. And if border security comes out, we will have the regularization of millions of undocumented immigrants that will create a new wave of economic growth and support for government assistance programs. The USA is one of the most encouraging countries in entrepreneurship. The company is open on the internet, there are no labor laws, at least in Florida, there are no taxes on corporations except in corporations, Florida has no income tax on the individual, there are various forms of incentive in this state as well as in others. As we see, thinking about internationalization is a matter of security in the future of the company. Thinking about the USA in this process is the best option.

Leave a comment