WASHINGTON – O governo dos EUA aprovou no fim desta quinta-feira novas diretrizes que permitem que agentes do Centro Nacional de Combate ao Terrorismo (NCTC, na sigla em inglês) no país tenham mais tempo para acessar informações de cidadãos americanos e residentes, mesmo que eles não estejam vinculados ao terrorismo. De acordo com matéria publicada no diário “Washington Post”, o prazo, que antes era de 180 dias, foi estendido para cinco anos.

A NTCT, criada em 2004, coleta informações e as compartilha com outras 30 agências e poderá ceder os dados para suas parceiras por períodos menores, a não ser que o indivíduo investigado tenha conexões evidentes com organizações extremistas. Autoridades defendem que as novas diretrizes servirão para reforçar que informações relevantes estejam acessíveis para análise e não são uma forma de invasão de privacidade.

– Nós temos insistido nisso pois o sucesso da NCTC depende de total acesso da central a informações que os EUA coletam legalmente – afirma Mike Rogers, presidente do Comitê de Inteligência do Parlamento americano – Não quero deixar nenhuma possibilidade de que uma catástrofe aconteça porque alguma evidência estava escondida em um arquivo de escritório.

De acordo com o “Washington Post”, o atentado de Fort Hood, no Texas, e a tentativa de derrubar uma avião americano no Natal de 2009 foram dois acontecimentos que estimularam as agências a agregar e analisar com mais cuidado informações de civis. No caso de Fort Hood, autoridades sabiam que o atirador Nidal M. Hasan matinha contato com radicais, mas essa informação não foi divulgada para todo o governo. Já o nome de Umar Farouk Abdulmutallab, acusado de tentar derrubar um avião americano em 2009, estava em listas da NCTC, mas não foi divulgado para outros órgãos.

A decisão, aprovada pelo advogado-geral da União, Eric H. Holder Jr., preocupa grupos de defesa às Liberdades Individuais, que criticam o governo por prisões de afegãos, sem antes terem o direito a julgamento, pela manutenção da prisão de Guantánamo, sem que os detentos tenham direito de defesa e pela autorização de execução de Anwar al-Awlaki, um religioso nascido nos EUA, mas ligado à al-Qaeda, que foi morto por drones no Iêmen.

Source: Yahoo!

ÚLTIMOS ARTIGOS

Economia Americana como aliada – Correio Braziliense

Artigo publicado originalmente no jornal Correio Braziliense. English version below: Economia como Aliada: “Trump mostrou-se uma pessoa tenaz em sua luta, mas que não gozava de grande simpatia dentro(...)

face linkedin twitter whatsapp

Jovem Pan entrevista presidente do Oxford Group sobre eleições americanas.

Unfortunately the interview is only available in Portuguese. Thank you for you comprehension. No dia 19 de junho a Jovem Pan ao vivo entrevistou o advogado e economista Carlo(...)

face linkedin twitter whatsapp

Visão Conservadora Sobre Como Administrar a Burocracia do Estado

Matéria publicada originalmente no jornal Boca Raton Tribune English version below! Quando o primeiro ano de mandato do presidente Donald Trump estava chegando ao fim, final de 2017, ficou(...)

face linkedin twitter whatsapp
ArabicChinese (Simplified)Chinese (Traditional)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish