Imigração para os EUA

usa-visa

 

 

Mr.-Carlo-Barbieri-100x150
Artigo publicado no Comex do Brasil,
28/09/2016 por  Carlos Barbieri 

Há duas importantes notícias no ar, com relação à questão imigratória:

EB-5 Green Card de Investidor

No dia 30 de setembro, a lei que da base aos Centros Regionais do EB-5, assim como outras regras de seu funcionamento, deveria ser reeditada, modificada ou mantida como está.

Face ao processo eleitoral americano, onde temos uma eleição presidencial em poucos dias, as eleições para 1/3 do Senado e 100% da Câmara dos Deputados, deverá haver uma postergação da lei, como está, até dia 9 de dezembro.

Há muitas modificações em discussão, desde o valor mínimo do investimento, que deverá subir para US$800,000 em áreas de baixo desenvolvimento, até US$ 1,200,000 em outras áreas, que tudo leva a crer que será efetivada, até, pontos mais polêmicos, como melhor controle dos Centros Regionais (necessário), divisão da cota de 10,000 vistos entre áreas e valores diferentes com relação ao TEA (Targeted Employment Area) , tema bem controverso, que inclui o critério de definição do TEA e quem tem o poder de confirmar esta situação.

No total são 125 páginas que constam da proposta de emendas a legislação.

Vale destacar que embora seja improvável, a legislação americana permite que vários fatores retroajam quando da aprovação da reforma até meados de 2015, embora achemos quase impossível pois, somente em analise, há mais de 20.000 casos.

Novo visto de Investidor

Está em audiência pública a criação de um novo visto de investidor.

A Imigração avaliará e admitirá os empresários numa base caso-a-caso, concedendo os vistos para aqueles cuja startups forneça um “benefício público significativo”, via seu crescimento e consequente criação de empregos. Não existe uma cota anual específica, que é uma grande notícia para os países que esgotaram os seus vistos EB-5, como a China. Para se qualificar ao visto inicial de 2 anos, os candidatos devem cumprir os seguintes requisitos:

 

Os candidatos aprovados poderão prolongar a sua estadia por mais 3 anos (máximo total de 5 anos nos EUA) desde que o seu negócio mostre sinais de crescimento significativo, além de “potencial de maior crescimento rápido e a criação de empregos”.

Para satisfazer estes critérios para a extensão, os fundadores devem:

 

O trabalho para este visto, está diretamente vinculada a ter o investidor brasileiro, no caso, apoio de empresário ou de entidades públicas americanas.

 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS

Economia Americana como aliada – Correio Braziliense

Artigo publicado originalmente no jornal Correio Braziliense. English version below: Economia como Aliada: “Trump mostrou-se uma pessoa tenaz em sua luta, mas que não gozava de grande simpatia dentro(...)

face linkedin twitter whatsapp

Jovem Pan entrevista presidente do Oxford Group sobre eleições americanas.

Unfortunately the interview is only available in Portuguese. Thank you for you comprehension. No dia 19 de junho a Jovem Pan ao vivo entrevistou o advogado e economista Carlo(...)

face linkedin twitter whatsapp

Visão Conservadora Sobre Como Administrar a Burocracia do Estado

Matéria publicada originalmente no jornal Boca Raton Tribune English version below! Quando o primeiro ano de mandato do presidente Donald Trump estava chegando ao fim, final de 2017, ficou(...)

face linkedin twitter whatsapp
ArabicChinese (Simplified)Chinese (Traditional)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish