A Invasão dos Sanguessugas

Barbieri e-mail marketingPublicado na Revista Manchete USA

Ano 1 – Edição 8

por Carlo Barbieri

 

Os Brasileiros que vivem aqui há muito anos, acostumaram-se a ver na comunidade todo o tipo de gente. Havia os competentes, os trabalhadores e os malandros. Os que viveram para ter uma melhor oportunidade e aqueles que já tinham feito o seu pé de meia. Os honestos e os desonestos. Os com dedicação à sua comunidade e os que dela se valiam.

Agora estamos vendo uma nova onda imigratória. São, em geral, pessoas que se sentem acuadas em seu próprio país, sem segurança jurídica e institucional.

Empresários que tem a visão clara que a economia está se deteriorando e que o governo não tem competência para resolver o problema. Os que sentem que o Brasil caminha para ser uma Argentina a curto prazo e uma Venezuela em pouco tempo. Os que esperam por uma “super-tarifação” após as eleições. O que sabem que a mídia brasileira está comprometida (eufemismo de comprada) pelo partido do governo, que a congresso está no mensalão e a justiça de cócoras para o mesmo partido.

Mas, junto com estes empresários, profissionais e executivos, estão vindo, misturados na mesma onda, os que estão fugindo de maus feitos, de abusos e já não podiam esconder mais seu golpes. Também vem os eternos sanguessugas que viram a oportunidade de se aproveitar de nova onda imigratória.

Chegam aqui, vão de batizado de criança à casamento. De eventos do Rotary à festas políticas. Da igreja Evangélica à maçonaria, passando pelos cultos evangélicos e igrejas católicas. Tudo para conhecerem e se fazerem conhecidos, de maneira a ludibriar os que estão chegando.

Querem aparentar conhecer de tudo. De pintor a vendedor de TV usada. Das casas a serem compradas ou alugadas ao vendedor de carro. De restaurante à loja de material esportivo. São os novos reis da “cocada preta”. Na verdade são os reis da arapuca.

Quando são apresentados a alguém, no dia seguinte já se fazem de melhores amigos para ter “mais um contato” para vender seus “préstimos”.

Tanto tempo para se separar o joio do trigo na comunidade brasileira e agora, há uma invasão de aventureiros que chegam junto com os homens de bem que aqui vem quase como asilados. Estes lobos adquiriram um sem número de fantasias de humildes cordeiros e por ai estão circulando.

Outro dia um empresário recém chegado (há pouco mais de um ano) dizia que havia descoberto uma nova profissão que se desenvolvia na Flórida: os que f…m os brasileiros que aqui estão chegando.

Mas, os que aqui estão chegando não sabem sentir o mal cheiro do lobo embaixo de sua camuflagem de cordeiro.

Temo por uma queda do respeito que a comunidade brasileira ganhou nestes últimos anos entre nós mesmos e junto aos americanos.

O sucesso desta nova e bem vinda onde de imigrantes merece nosso respeito e apoio.

Cabe a nós assumirmos a responsabilidade de ajudar no discernimento destes que estão chegando e que, com a proximidade da farsa eleitoral devem aumentar.

Leave a comment