País sem futuro e a mandioca – Artigo publicado no Banco Hoje

headerbancohoje2013

Artigo “País sem futuro e a mandioca” publicado na revista Banco Hoje

por Carlo Barbieri

Julho de 2015

image017Nesta sexta-feira num jantar beneficente um bom amigo, brasileiro idealista, manifestou sua tristeza pois, desde 1953 ouvia dizer ser o Brasil um país do futuro. Hoje ele já acha que somos um país sem futuro. Infelizmente tenho que concordar. Parece que as ruas se silenciaram, não temos uma oposição atuante e, como escrevi há muitos anos, a esperança estava em haver, um dia, a briga pela divisão do botim.

Só ela está ajudando a que a população se inteire dos desmandos que estão ocorrendo há 12 anos, mas que eram colocados em baixo do tapete, inclusive pela imprensa. Em que país sério, com esperança de futuro, a chefe do poder executivo se reúne FURTIVAMENTE, em um terceiro pais, com o chefe do poder judiciario, para tramarem contra a justiça, estando também na reunião o próprio Ministro da Justiça, sem que isto seja caso de demissão sumaria de todos os participantes?

Em que país sério, com esperança de futuro, a presidente da república condena o juiz que está fazendo seu trabalho honesto e diligente e defende os meliantes que, com a sua ajuda e de seus cúmplices, assaltam os cofres públicos e em particular da Petrobras, com serias consequências para a credibilidade do pais e ninguém fala nada?

Em que país sério, com esperança de futuro um ex-presidente faz lobby para os negócios privados de uma empreiteira e consegue que a investigação do mal feito fique sigilosa, sem acesso da opinião pública aos feitos e fatos? Em que país sério, com esperança de futuro o Ministro da Fazenda indicado pelo ex-presidente, feito ministro pela presidente é contestado pelo ParTido da presidente e pelo próprio ex-presidente?

Em que país sério, com esperança de futuro as crianças são instruídas sobre sexo (preferencialmente homossexual), desde os 2 anos de idade com a indicação do manual de Kama sutra, como livro de orientação, em cartilhas feitas pelo governo, com dinheiro do contribuinte? Em que país sério, com esperança de futuro o presidente deposto por corrupção, o ex-governador com mandato de prisão internacional por lavagem de dinheiro, deputados condenados por receberem propina, um ex-ministro todo poderoso, cada um de partidos diferentes e com ideologias diametralmente opostas, são a base de um governo corrupto e corruptor e acha que qualquer ação de impeachment é “golpe”. Será que não foi golpe juntar todo este entulho para sustentar as ações corruptas e os desvios da democracia patrocinados pela presidente?

Em que país sério, com esperança de futuro estando as contas do governo com o pior resultado nos últimos 17 anos. A Confederação das Industrias informa que os empregos industriais estão em queda livre, somente 66% da capacidade industrial está sendo utilizada. A inflação deve superar, nos números oficiais, o dobro da meta, atingindo 9% este ano. O crescimento do pais será negativo e os otimistas acham que será (-) 2% e a presidente precisa do apoio do Presidente do Supremo para tentar seguir enganando a opinião pública dizendo que a crise é externa?

Em que país sério, com esperança de futuro o ex-presidente, já temeroso de vir a ser preso, manda um terceiro entrar com habeas corpos na justiça do Paraná e o mesmo o faz seu fiel escudeiro, o gatuno Jose Dirceu, por saberem que não tem solução jurídica para seus delitos e ainda assim tem o despudor de dizer que se trata de caso político e não moral?

Mas, nesta crise toda, a Sra. Presidenta, encontrou seu motivo de alegria: a mandioca. Em suas palavras produz o essencial ao desenvolvimento da civilização, uma das maiores conquistas do Brasil. A bola da mandioca foi identificada como a identificação da “mulher sapiens”. Se, claro, para ela, a identificação da bola de mandioca é o maior símbolo da “mulher sapiens”, não poderíamos esperar mais da presidenta para a solução dos problemas do pais, que ela mesmo criou.

Fico aqui conjecturando o que levou esta, digamos, senhora, a fazer esta saudação espontânea, porem extemporânea a mandioca? Saudades da mandioca? Não me pareceu questão agrícola e sim de foro íntimo. Há outras formas de buscar solução para os problemas pessoais e da nação. Realmente parece que o impeachment deveria ser por insanidade ou incompetência, não precisamos entrar na parte esportiva das pedaladas fiscais.

Por favor, saudades da mandioca? Fica difícil seguirmos sendo o país da esperança!

Leave a comment