english version below

Crise no PSL ajuda a turbinar a participação do MDB em cargos chaves

Com a substituição da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO) como líder do governo no Congresso, o MDB passa a ocupar duas lideranças do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Legislativo

Maior partido do país em número de filiados, o MDB foi, até agora, o maior beneficiário da crise interna do PSL. Com a substituição da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO) como líder do governo no Congresso, o MDB passa a ocupar duas lideranças do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Legislativo. No Senado, o líder do governo é o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

O perfil de Gomes alinhado ao de Bolsonaro, foi o que levou à escolha do presidente. O senador votou contra desidratar a reforma da Previdência e a favor do decreto presidencial que flexibilizou o porte de armas. A nomeação dele favorece a estratégia do MDB de ampliar seu espaço de poder. O partido também está de olho nas eleições municipais de 2020.

Segundo o especialista em direito eleitoral e político Eduardo Tavares, a intenção da legenda é eleger o maior número possível de prefeitos para reforçar a base política e aumentar, nas eleições seguintes, a bancada de deputados e senadores. Apesar de ter encolhido no pleito do ano passado, o partido é o dono da maior bancada no Senado e o quinto maior na Câmara, ao lado do PSD, com 34 deputados federais.

“O MDB com poder de articulação consegue apresentar base e trazer aliados. Em razão disso, demonstra a necessidade de estar mais dentro do governo e consegue retomar a visibilidade. Posteriormente, deve voltar a buscar a Presidência do Senado, a da Câmara ou, ainda, os ministérios. Há uma nítida demonstração de interesse”, analisa Tavares.

O especialista avalia que o MDB oferece governabilidade a Bolsonaro. “É o que o PSL busca. O MDB vai oferecer governabilidade. Trazendo aliados, mostra para o Planalto que precisa deles e abre essa coalizão. O MDB teve perda de prefeitos e precisa retomar a base. Quanto mais ele tiver a nível municipal, mais possibilidade de barganha política a nível nacional terá. É uma construção de musculatura para buscar a Presidência, que é o sonho de todo partido. O MDB está vindo de baixo para cima”, completa.

O analista político Carlo Barbieri ressalta que o partido sofreu revés nas últimas eleições por escândalos de corrupção. O retorno, de acordo com ele, dá ao partido uma nova oportunidade de participar do governo, das verbas e cargos. “Por outro lado, teria mistura da imagem do governo PSL, que se coloca contra corrupção com o MDB, o que melhora a imagem da ‘velha política’, pela qual poderia ser atacado. É uma jogada inteligente, habilidosa.”

Ao contrário de Tavares, Barbieri diz que o MDB não se preocupa com a eleição presidencial de 2022. “A eles, interessa o poder. Ter poder no Congresso e, a partir daí, no Executivo, sempre foi o que fez o partido mais forte. Pela primeira vez, um presidente governaria sem o MDB. A ausência durou pouco porque em um ano ele já está voltando ao poder”, concluiu.

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) afirmou que a escolha por Gomes como líder do governo no Congresso foi uma decisão de Bolsonaro, e não significa que o partido esteja buscando uma aproximação com o governo. “Foi uma escolha pessoal do presidente. O partido não tem alinhamento com o governo, tem uma posição de independência. Se estamos em evidência, é mérito dos senadores, que têm competência”, disse o emedebista.


Oxford President is interviewed by Correio Brasiliense about Brazilian political situation

PSL Crisis Helps Boost MDB Participation in Key Positions

With the replacement of Congresswoman Joice Hasselmann (PSL-SP) by Senator Eduardo Gomes (MDB-TO) as government leader in Congress, the MDB now holds two leaderships of the government of Jair Bolsonaro (PSL) in the Legislature.  The country’s largest party in membership, the MDB has so far been the biggest beneficiary of the PSL’s internal crisis. With the replacement of Congresswoman Joice Hasselmann (PSL-SP) by Senator Eduardo Gomes (MDB-TO) as the government leader in Congress, the MDB now holds two leaderships of the Jair Bolsonaro (PSL) government in the Legislature.

In the Senate, the government leader is Senator Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Gomes’s profile in line with Bolsonaro’s was what led to the choice of the president. The senator voted against dehydrating the Social Security reform and in favor of the presidential decree that relaxed the possession of weapons. His appointment favors MDB’s strategy of expanding its power space. The party is also interested in the municipal elections of 2020. According to electoral and political law expert Eduardo Tavares, the intention of the party is to elect as many mayors as possible to reinforce the political base and to increase the number of congressmen and senators in the following elections.

Despite shrinking in last year’s election, the party owns the largest Senate bench and the fifth largest in the House, alongside the PSD, with 34 federal congressmen.

“MDB with articulation power can present base and bring allies. As a result, it demonstrates the need to be more within government and is able to regain visibility. Afterwards, the party must go back to the Senate Presidency, the House Presidency, or even the Ministries. There is a clear demonstration of interest ”, analyzes Tavares. The expert assesses that the MDB offers governance to Bolsonaro. “That’s what the PSL is looking for. The MDB will offer governance.

Bringing allies, he shows the Plateau that he needs them and opens this coalition. The MDB has lost mayors and needs to resume base. The more he has at the municipal level, the more possibility of political bargaining at the national level. It is a muscle building to seek the presidency, which is the dream of every party.

The MDB is coming from the bottom up, ” he adds. Political analyst Carlo Barbieri points out that the party suffered a setback in the last elections due to corruption scandals. The return, according to him, provides the party with a new opportunity to participate in government, budget and office. “On the other hand, it would have mixed the image of the PSL government, which stands against corruption with the MDB, and which enhances the image of the ‘old politics’ by which it could be attacked.  It’s a smart, skillful move. ” Unlike Tavares, Barbieri says the MDB is not concerned with the 2022 presidential election. “

They are interested in power. Having power in Congress and hence in the Executive has always been what made the party stronger. For the first time, a president would rule without the MDB. The absence was short-lived because in a year he is already coming back to power, ”he concluded. Senator Eduardo Braga (MDB-AM) stated that the choice of Gomes as government leader in Congress was a decision of Bolsonaro, and does not mean that the party is seeking an approximation with the government. “It was a personal choice of the president. The party has no alignment with the government, it has a position of independence. If we are in evidence, it is the merit of the senators, who have competence, ”said the politician from MDB.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS

Apresentação do Evento – Event Presentation – Alphaville

Clique aqui para acessar aos conteúdos da Palestra Click here to access the contents of the Lectures Em portugues English

face linkedin twitter whatsapp

Arquivos das palestras – Evento Shopping Iguatemi Alphaville

Aposente-se em dólar Apresentação da Oxford Exporta São Paulo Como Empreender com Franquia Oxford Realty  

face linkedin twitter whatsapp

Brasil: entre um Supremo espúrio e uma incrível recuperação legal e econômica.

english version below O Brasil tem tido uma recuperação incrível neste primeiro ano sob a nova presidência. Os juros baixaram para 5% aa, a menor taxa em toda sua(...)

face linkedin twitter whatsapp
ArabicChinese (Simplified)Chinese (Traditional)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish