Riscos e sucesso na abertura de negócios nos EUA

By Carlo Barbieri
By Carlo Barbieri

Matéria publicada na Revista Comex do Brasil por Carlo Barbieri – President Oxford Group

Considerando-se ter os EUA uma população de 324 milhões, uma renda per capta de US$ 57.466, com um PIB de U$ 19,2 trilhões, tornam-se o mercado mais desejado do mundo

Por outro lado, a segurança pública e institucional do país, somada com a qualidade de vida e educação de ótima qualidade e gratuita, levam muitas famílias a, priorizar os EUA quando querem sair de seu pais de origem. Não abordaremos neste artigo a questão imigratória, onde sempre destaco ser um processo em que toda a família deve estar envolvida e o planejamento merece uma atenção especial.

Apenas que destacar alguns pontos do ponto de vista empresarial. A ida para este mercado implica em uma preparação muito mais exigente e cautelosa do que para o mercado de países menos desenvolvidos do que o brasileiro. A primeira ação prática sempre deve ser fazer uma boa pesquisa de mercado. Não uma pesquisa simples, como aquelas que embasam um visto de imigração, mas, a mais profunda possível. Inicialmente há que pesquisar se o seu produto está adaptado ao mercado americano e se atende as legislações pertinentes. O conhecimento dos pontos fortes e fracos dos competidores podem dar uma maior segurança quanto ao resultado pretendido.

Num trabalho, a Deloitte destaca os cinco pilares dos riscos empresariais:

  1. Riscos financeiros
  2. Riscos regulatórios;
  3. Riscos operacionais;
  4. Riscos estratégicos;
  5. Riscos cibernéticos.

A pesquisa de mercado é uma importante ferramenta que vai orientar o empreendedor, o potencial empresário, o empresário e administradores de empresas no conhecimento do mercado e na definição das estratégias empresariais.

O Plano de negócios é que vai possibilitar ter uma visão ampla e detalhada do negócio, considerando todos os componentes do mercado que vão impactar na atuação da empresa, esteja ela no momento da criação, inovação ou expansão.

A análise do macro e microambiente determinará:

 Fatores que geram oportunidades;

 Ameaças externas, bem como setoriais;

 Perfil dos clientes e fornecedores;

 Pontos fortes e fracos dos concorrentes, assim como da própria empresa;

 Produtos que serão escolhidos para serem ofertados, com mais competitividade, gerando subsídios para os planos de marketing e vendas.

A pesquisa de mercado é um verdadeiro exercício de comportamentos empreendedores, principalmente na busca de informações, comprometimento e persistência. Não há fórmulas prontas para a busca de informações. Porém, existem técnicas sistematizadas de pesquisa e formas mais práticas de observação no dia a dia da empresa.i possibilitar uma visão ampla do

Na preparação do plano de negócios, a participação do empresário é fundamental, pois, ele tem que deixar claro qual é o objetivo desta empreitada. Já vimos planos fracassarem pois haviam objetivos ocultos não anunciados, como escoar produtos sem saída no seu mercado original ou ocupar melhor sua capacidade instalada.

Ora, num plano estes pontos têm que ser claramente colocados para que as análises sejam consistentes. As formas de comercialização que serão adotadas, o plano de marketing mais adequado para que os clientes dos produtos ou serviços sejam atingidos. Em muitos casos a localização do negócio, pode ser relevante para o sucesso do empreendimento.

Neste estudo tem que serem conhecidos não apenas os concorrentes como eventuais potencias parceiros, aliados e outros que tenho como sinergicamente colaborar para o sucesso do empreendimento.

Quais os regulamentos que devem ser seguidos e as autorizações necessárias. Há casos de um negócio maravilhoso perder-se porque estas regras não foram consideradas e o projeto atrasou meses e, em casos que vimos, anos, destruindo totalmente as expectativas positivas do empreendedor.

E, aí vem a parte financeira. Saber:

 Qual será o ponto de equilíbrio do negócio, ou como se diz o Breakeven point;

 A projeção de lucros e perdas;

 Os custos pessoais e de pessoal;

 Os custos de iniciação do negócio;

 O balanço projetado.

Quem já não ouviu a expressão: nadar, nadar e morrer na praia? Esta é a realidade que muitas empresas enfrentaram, por não ter feito um bom planejamento financeiro, de acordo com a realidade que o plano de negócios demostrou, inclusive as verbas de contingencia (mais conservadoras).

A consultoria adequada para estes pontos e muitos outros é que vai determinar as chances de sucesso ou a quase certeza de fracasso na entrada deste fantástico mercado americano.

(*) Carlo Barbieri é formado em Economia e em Direito, com cursos de extensão e especialização na Sorbonne, Harvard, MIT, FGV, Universidade de Brasília, entre outras, é CEO do Grupo Oxford (composto por empresas internacionais de consultoria e trading), Presidente do Brazil Club, membro do conselho da Deerfield Chamber of Commerce, Embaixador da Barry University no Brasil, membro do Conselho de Cidadãos, órgão de aconselhamento ao Consulado Geral do Brasil em Miami.

Leave a comment