São Paulo Business Center

Opção para exportar e importar

Muitas pequenas e médias empresas que desejam exportar para os Estados Unidos e não têm dinheiro para montar uma estrutura internacional podem contar agora com o São Paulo Business Center – um centro de negócios instalado no Miami Free Zone (2305 NW 107th Avenue, Miami, FL 33172) que congrega empresas brasileiras que querem fazer negócios no maior mercado consumidor do planeta.

A inauguração oficial do São Paulo Business Center ocorreu no sábado, 12 de março, e contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que esteve em visita aos EUA durante uma semana e participou do evento State to State Business to Culture – Focus 2005 (cobertura nesta edição) em Fort Lauderdale.

Alckmin foi homenageado pelo senador da Flórida Javier Soto. O político enfatizou que o condado de Miami Dade está envolvido em vários programas com São Paulo e Brasil nas áreas de segurança pública, educação e saúde. Para demonstrar o espírito de parceria, foi instituído o dia 12 de março como São Paulo Business Center Day no condado de Miami Dade.

Também Juan Carlos Bermudez, prefeito de Doral, cidade onde está localizado o Miami Free Zone, concedeu uma proclamação ao governador paulista, bem como Carolina Stevoli, representando o vereador Jose Pepe Peperdin, entregou um diploma de boas-vindas ao governador e à sua comitiva.

Governador Geraldo Alckmin, Carlo Barbieri, embaixador
Roberto Abdenur e outros convidados inauguram o São Paulo
Business Center

Força econômica – Depois dos prolegômenos, chegou o momento de falar de negócios. O vice-presidente executivo do Miami Free Zone, Gary Goldfarb, enalteceu a super estrutura das instalações, que reúne num só local escritórios, armazéns e showroom para produtos. O local é excelente para empresas estrangeiras que desejam ingressar no mercado americano e empresas americanas que querem exportar para América Latina e Caribe, por estar estrategicamente localizado perto do porto e do aeroporto internacional de Miami. Atualmente o Miami Free Zone hospeda 56 companhias dos continentes americano, europeu, africano e asiático.

O diretor do Departamento de Pesquisas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Claudio Vaz, enalteceu a liderança e a seriedade administrativa de Alckmin, que começou no momento em que a chapa Mario Covas/Geraldo Alckmin assumiu o governo do estado. As más administrações anteriores deixaram um déficit de 25% nas contas públicas do estado. O controle financeiro feito por Covas e Alckmin foi complementado pela redução de impostos e ampliação de investimentos. Vaz, que é economista, explicou que esta medida foi importante para impulsionar o crescimento da indústria paulista.

Citou, ainda, alguns dados relativos à exportação, “o motor da economia”, segundo sua definição. “O estado de São Paulo é responsável por 35% das exportações brasileiras, das quais 85% do total é composto por manufaturados – produtos com maior valor agregado. No comércio bilateral com a Flórida, os dois parceiros movimentaram US$ 9,5 bilhões em comércio no ano passado”, acrescentou Vaz.

O anfitrião do São Paulo Business Center, Carlo Barbieri, saudou as autoridades e realçou a importância da Flórida como parceiro: “Este é um estado essencialmente bilíngüe, inglês e espanhol. E a presença de São Paulo é marcante. Só os aviões da Embraer, empresa de São José dos Campos, abastecem 40% da frota americana”.

Secretário aprova o centro – O secretário de Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Estado de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles, considera a inauguração um importante ponto de apoio para as exportações de empresas paulistas. Disse, ainda, que esta fórmula se proliferará por outras regiões do mundo, sempre com o objetivo de ampliar as oportunidades para os empresários paulistas e, conseqüentemente, gerar empregos.

Participando do périplo com a comitiva oficial, integrada por políticos e empresários e capitaneada por Alckmin, Meirelles destacou que o estado reservou um espaço de 30 mil m2 para dar apoio à exportação e importação, dentro do Projeto Celex, que criou o Centro de Logística de Exportação, comandado por José Américo Ribeiro dos Santos. “São Paulo exportou US$ 20 bilhões em 2002 e fechou 2004 com US$ 32 bilhões. Estamos crescendo a um ritmo de 38% ao ano e estas parcerias certamente colaborarão para incentivar ainda mais o comércio externo”, concluiu Meirelles.

A corroborar as declarações de Meirelles, aqui estão alguns números sobre o poderio econômico de São Paulo, com 39 milhões de habitantes e renda per capita de US$ 5.463. O estado é responsável por 33,4% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 45,3% da produção industrial do país. Entre 1996 e 2003, os investimentos em São Paulo chegaram a US$ 91,7 bilhões, atraindo sete mil novos empreendimentos dos mais diferentes setores da economia.

O embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Roberto Abdenur, elogiou as instalações do Miami Free Zone e exaltou a criação do São Paulo Business Center. Ele resumiu a parceria de uma maneira direta: “Se São Paulo for bem sucedido no esforço para ampliar as exportações, o Brasil será bem sucedido”. Como bom carioca, no entanto, Abdenur fez questão de destacar que o maior estádio do mundo fica no Rio de Janeiro, gerando um momento de descontração.

O governador Geraldo Alckmin encerrou o encontro elogiando a iniciativa e agradecendo todas as pessoas envolvidas na consecução deste importante posto avançado de apoio às exportações paulistas.

Fonte: AcheiUSA

Leave a comment