Unindo as mãos com o Brasil – Um bom investimento

21 de Agosto de 2012

 

Em um mundo melhor por conflitos financeiros e de incerteza sobre o futuro, o Brasil tem muito a oferecer. Aqui estão apenas alguns pontos:

O Brasil está entre os maiores países em termos de território, população e PIB (2.475 milhões dólares americanos para 2011, em dólares norte-americanos).
O Brasil possui vastos recursos naturais, incluindo recentemente descobertos grandes campos offshore de petróleo, uma base diversificada industrial, um setor privado dinâmico e sofisticado, e um setor bem estruturado público;
O Brasil é uma democracia vigorosa, com eleições multipartidárias livres e um sistema político estável;
O Brasil tem boas relações com todos os seus vizinhos e revigorou seus laços com todas as regiões do mundo.
Sua economia é a maior entre as nações da América Latina eo segundo maior do hemisfério ocidental. O Brasil é uma das economias de mais rápido crescimento maiores do mundo, com uma taxa de crescimento anual médio do PIB de mais de 5 por cento.

Mas também há motivo para preocupação – especialmente como o mundo lida com uma crise econômica contínua. Americano milionário investidor imobiliário Sam Zell disse que o Brasil ainda tem oportunidades de investimento, especialmente em setores ligados ao consumo.

“A questão é se essa desaceleração é mais ou não”, disse Zell. “Existem opiniões diferentes sobre isso, mas em geral, os investidores estrangeiros ver o Brasil e outros mercados emergentes com cautela. Hoje, as economias emergentes enfrentam muitos obstáculos, muita resistência. “No entanto, disse ele, a demanda por habitação é forte, e até mesmo o mercado o hotel é” muito promissor “.

Na verdade, o Brasil definir seu curso para a estabilidade no início de 1990, quando um impeachment presidencial seguinte, em 1992, por uma administração fraca liderado pelo ex-vice presidente permitidos inflação galopante para continuar. Através da década de 1990 e no século 21, a economia do país tem crescido, embora ultimamente, não tem muito manteve-se com estimativas. O relatório FOCUS diz que o crescimento do produto interno bruto do Brasil foi estimado um aumento de 4,5 por cento em 2012, mas o número é mais como 1,9 por cento. Ainda assim, isso é bom, considerando a situação econômica internacional lutando.

O Brasil mantém a diversidade financeiro com a adesão em uma mistura de organizações econômicas, como o Mercosul, Unasul, 5 G8, G20, OMC, e do Grupo de Cairns. Seu comércio número parceiros nas centenas, e 60 por cento das suas exportações são produtos manufaturados ou semi-manufaturados.

Os principais parceiros comerciais do Brasil em 2008 foram: Mercosul e América Latina (25,9 por cento do comércio), União Europeia (23,4 por cento), Ásia (18,9 por cento), Estados Unidos (14,0 por cento) e outros (17,8 por cento).

Passos importantes têm sido tomadas desde a década de 1990 para trazer sustentabilidade fiscal e liberalizar e abrir a economia. Estes têm impulsionou significativamente os fundamentos do país em matéria de competitividade, proporcionando um melhor ambiente para o desenvolvimento do setor privado.

O proprietário de um sofisticado setor tecnológico, o Brasil desenvolve projetos que vão desde submarinos a aeronaves e está envolvido na pesquisa espacial. O país possui um centro de lançamento de satélites e foi o único país do Hemisfério Sul a integrar a equipe responsável pela construção da Estação Espacial Internacional (ISS). É também pioneiro em muitos campos, incluindo a produção de etanol.

Segundo estatísticas do governo, o Brasil foi o primeiro país capitalista a reunir as 10 maiores empresas montadoras de automóvel em seu território nacional. A Cimeira de Investimento anual Brasil acontece em São Paulo e é o maior encontro no Brasil de especialistas em investimentos internacionais que abrangem oportunidades em veículos alternativos, infra-estrutura e estratégias de negociação avançadas. O Brasil também é pioneiro nos campos da pesquisa de petróleo em águas profundas, onde 73 por cento de suas reservas são extraídas.

Ainda com altos níveis de desigualdade, embora tenha diminuído nos últimos anos, a economia brasileira se tornou uma das principais economias do mundo. De acordo com a Forbes 2011, o Brasil tem o maior número de 8 de bilionários no mundo, um número muito maior que a encontrada em outros países da América Latina, e até mesmo à frente do Japão. Até o final de 2011, a economia do Brasil se tornou o sexto do mundo maior.

 


Por :Carlo Barbieri

Leave a comment