Preocupação antipática

É realmente desagradável num momento de euforia cívica manifestar a preocupação com relação às contas nacionais e os riscos que existem no horizonte.

Graças a uma mistura maravilhosa de sorte, esperteza e bom senso, este governo que está já no ocaso, conseguiu que o Brasil fosse um dos maiores sucessos econômicos nos últimos anos se compararmos com os países ricos, mesmo que com o desempenho modesto se compararmos com os países de mais eficientes como a Índia e a China.

No campo interno houve uma mistura condenável dos recursos do reino, com o do rei, que acabou dando benefícios com o dinheiro público para garantir a sua sustentação política e a adesão de forças das mais díspares desde os mais corruptos de direita, até os mais radicais de esquerda (que se corromperam).

A mídia foi agraciada com recursos nunca antes imaginados e com isto, a população ficou anestesiada, passando por sobre a realidade e com este otimismo manteve o país em crescimento.

Porém, nosso desenvolvimento, mesmo que modesto, tem sido feito graças a poupança externa que anda sem destino e farta, particularmente após a crise mundial, que fez com que os principais Bancos Centrais emitissem bilhões de dólares que estão ai disponíveis no mercado sem a remuneração desejada nas economias desenvolvidas.

O Brasil sedento de recursos é um destino natural para estes recursos, pois o governo, com sua fobia arrecadatória drena os recursos do setor produtivo para as burras federais para poder seguir com a compra de votos e consciências.

Esta farra com o dinheiro público seguirá e se fortalecerá neste ano eleitoral, para assegurar a sucessão da mesma quadrilha que implantou a nova forma de justiça no país: improbidade = a impunidade (desde que praticada por filho, afilhado ou correligionário).

Estamos formando uma estrutura, semelhante ao que o PRI criou no México, de triste memória, para o mesmo grupo siga com o timão na mão.

As questões, do ponto de vista econômico, são: até quando o setor privado agüenta este crescimento da carga tributária?  Até quando o serviço da dívida interna será suportável? Até quando esta abundancia de recursos do exterior seguirão sendo canalizados para o Brasil?

Aí começam as preocupações antipáticas. No próximo ano será reiniciado um processo de crescimento econômico em algumas das nações desenvolvidas, o que exigirá o retorno dos recursos para seus países.

Do ponto de vista interno teremos a necessidade de recursos, e não temos criado mecanismos de aumento da poupança privada. Os cofres públicos poderão estar vazios, pois toda a arrecadação é destinada a gastos e o pior, a gastos permanentes em concessões que não são passiveis de serem paralisadas após serem concedidas. Ninguém vai abrir mão de um direito adquirido, por mais exagerado e injusto que seja.

Como esta potencial crise só vai atingir o novo residente do Palácio do Planalto, para o atual ocupante, quanto pior for para seu substituto, melhor será para ele, pois estará marcando mais um ponto para a volta pessoal ao poder, ou pelo menos para sua fantasia de ter sido o melhor presidente do país e um líder equivalente a Cristo.

Porém as contas terão que ser pagas um dia, e o pior, estarão comprometendo o futuro de muitas gerações.

A falácia do pré-sal já rodou o mundo e nas declarações  recentes se confirma em público, o que todos sabiam, mas o inimputável negava: os recursos do pré-sal somente irrigarão os cofres públicos depois de 2016, se tudo caminhar como se espera.

Uma aposta de longo prazo para necessidades de curto prazo.

Mas, em 2016 estaremos com o chefe da quadrilha de volta para novamente aplicar outro estelionato eleitoral, se resistirmos a mais este desmando de governo.

O anterior passou 10 anos tirando os esqueletos do armário e saneando a economia. Este passou 8 recolocando novos esqueletos no armário de corroendo a economia, o direito e a justiça.

Mesmo antipática, a preocupação é válida

Carlo Barbieri é gestor do São Paulo Business Center, presidente do Brazilien Business Bureau e presidente da Oxford Group.

barbieri@casite-724183.cloudaccess.net
www.casite-724183.cloudaccess.net

ÚLTIMOS ARTIGOS

Presidente do Oxford Group é entrevistado no programa Ahora

Confirá abaixo a o bate-papo que aconteceu no programa Ahora con Oscar Haza, onde o presidente do Oxford Group, Carlo Barbieri fala um pouco mais sobre a viagem do presidente(...)

face linkedin twitter whatsapp

Visita de Bolsonaro aos EUA foi precipitada

Matéria publicada originalmente no jornal Poder360 English Version Below Visita de Bolsonaro aos EUA foi precipitada, diz Carlo Barbieri Leia a entrevista do analista político LAURIBERTO BRASIL 19.mar.2019 (terça-feira)(...)

face linkedin twitter whatsapp

DINHEIRO PARA DESENVOLVER PROJETOS E EMPRESAS NOS EUA

Publicado originalmente pelo Jornal Foco America   Dinheiro para desenvolver projetos e empresas nos EUA Os Estados Unidos, é sem dúvida, o país do mundo que mais tem seu(...)

face linkedin twitter whatsapp