matéria publicada pelo jornal A Tarde http://atarde.uol.com.br/coluna/armandoavena/2136800-comercio-exterior-deve-focar-na-economia-da-china-e-dos-eua-diz-especialista-premium

Segundo dados divulgados pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), as exportações e as importações brasileiras devem terminar 2020 em queda. A Associação acredita que as exportações terminam o ano com 13,9% de baixa e as Importações devem recuar 18,1%. O presidente da AEB, José Augusto de Castro, em entrevista a Agência Brasil explicou que os números já refletem os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

Com a previsão de baixa assustando empresários por todo país, o economista e analista político Carlo Barbieri, Presidente do Grupo Oxford, acredita que nesse momento é hora do Brasil focar nas economias mais fortes do mundo para recuperar essas perdas de 2020. Segundo Carlos o país deve ampliar suas relações comerciais com a China e com os Estados Unidos que são os países que devem sair primeiro dessa crise mundial.

“Com relação ao comércio exterior o Brasil deve se preparar para continuar exportando à China e aos EUA, países que estão fora da curva das perdas mundiais no comércio internacional e devem recuperar suas economias mais rapidamente. As grandes empresas internacionais que produzem na China estão procurando ou berço para suas atividades industriais e o Brasil pode atrair boa parte delas para fincarem âncoras no país”, disse.

O estudo da AEB salienta que o superávit comercial projetado para o Brasil em 2020 será triplamente negativo, pois será obtido com queda das exportações e importações além de uma queda de 15,4% na corrente de comércio, com geração de redução da atividade econômica. Os dados projetados para 2020 sinalizam que o Brasil deverá ocupar a 30ª posição no ranking mundial de exportação e 31ª de importação, com a participação nas exportações globais caindo para perto de 1%.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá,
Como posso ajudá-lo?