matéria oublicada originalmente pela revista Capital Economico https://revistacapitaleconomico.com.br/economistas-preveem-recuperacao-total-dos-eua-antes-de-2022/

Dados da National Association for Business Economics (NABE), mostraram que 73% dos economistas americanos acreditam que a economia americana retornará ao nível pré-pandemia até o fim de 2021. Economista brasileiro que atua nos EUA há mais de 30 anos confirma cenário de retomada econômica

economia-estados-unidos

Um número maior de economistas filiados à Associação Nacional por Negócios e Economia nos EUA acredita que o país se recuperará da pandemia antes de 2022. 73% dos especialistas ouvidos na pesquisa acreditam que a maior economia do mundo estará totalmente restabelecida no próximo ano.

Em pesquisa anterior, realizada no início da pandemia, o otimismo era menor, quando apenas 38% dos economistas acreditavam na recuperação total antes de 2022.

Para Carlo Barbieri, economista e analista político que atua nos EUA há mais de 30 anos, e que preside a maior consultoria de investimentos brasileiros nos EUA, Oxford Group, a projeção positiva das vacinas aumentará a confiança e segurança econômica.

Para ele, sem dúvida, os EUA será o primeiro país a se recuperar totalmente da crise econômica gerada pela pandemia.

“Temos sido bastante procurados por brasileiros que procuram uma avaliação do melhor cenário para investir e proteger seus patrimônios. Os dados da NABE somente confirmam a nossa projeção de que o momento é mais que oportuno para seguir acreditando na economia americana e no ganho em dólar. Essa já é, sem dúvida, a melhor maneira de proteger o patrimônio em um país que se recuperará mais rápido”, afirma Carlo Barbieri.

Para o economista, a implementação da vacinação significará menos restrições aos negócios no próximo ano e mais confiança para que os americanos voltem a consumir mais.

Uma visão positiva para a economia americana que encolheu 31,4% de abril a junho deste ano. Para Barbieri, os três primeiros meses de 2021 ainda apresentarão crescimento lento da economia americana, mas o cenário deverá ser melhor no segundo trimestre do próximo ano.

“A perspectiva é que o crescimento anual seja de 2,9% durante os primeiros três meses de 2021. Um percentual menor que o atual de 4,1%. Porém, no segundo trimestre o cenário deverá mudar completamente para um crescimento maior. É óbvio que alguns fatores deverão impactar diretamente nesta recuperação econômica, principalmente o fator político”, explica o economista e analista político.

Maior risco: Inação do Congresso

Economistas e investidores têm pedido ao Congresso americano e à Casa Branca que forneçam mais apoio para ajudar a manter a economia durante o inverno no país.

O atual partidarismo acirrado entre democratas e republicanos impediu que uma ajuda financeira maior fosse entregue aos trabalhadores americanos demitidos este ano.

Os economistas americanos da NABE são maioria em considerar que o maior risco que a economia americana enfrentará em 2021 é a inatividade do Congresso em oferecer ajuda financeira.

As expectativas são de que o país precise de um estímulo adicional entre US$ 1 trilhão e US$ 1,9 trilhão para fazer o PIB do país voltar ao pico pré pandemia.

Economistas e investidores têm pedido ao Congresso americano e à Casa Branca que forneçam mais apoio para ajudar a manter a economia durante o inverno no país. O atual partidarismo acirrado entre democratas e republicanos impediu que uma ajuda financeira maior fosse entregue aos trabalhadores americanos demitidos este ano.

Os economistas americanos da NABE são maioria em considerar que o maior risco que a economia americana enfrentará em 2021 é a inatividade do Congresso em oferecer ajuda financeira.

As expectativas são de que o país precise de um estímulo adicional entre US$ 1 trilhão e US$ 1,9 trilhão para fazer o PIB do país voltar ao pico pré pandemia.

“A mudança de Governo e a configuração do congresso impactarão, e muito, nessa retomada econômica. Se um novo pacote de ajuda financeira for aprovado ainda este ano, os EUA já começarão o próximo ano mais propensos a liderar a recuperação econômica mundial”, afirma Carlo Barbieri. Os legisladores têm até 18 de dezembro para aprovar um projeto de estímulo antes do recesso de fim de ano.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá,
Como posso ajudá-lo?